Home » Etica » Bioética

0

Segundo Marcolino (2008), O desenvolvimento de uma atitude ética passa pela percepção de inúmeros conflitos, propostos pelo que diz a emoção e o que diz a razão. Ser ético é poder percorrer um caminho que é indicado pelo coração e pela cabeça, posicionando durante o percurso no que considerar mais adequado, em busca da integridade nas atitudes, experimentada na prática da vida, analisar e levar em conta ambos os vértices, assim será responsabilizado e responsável pelos seus atos. A percepção do conflito psíquico, a liberdade e a coerência são as características fundamentais da ética.

bioetica

Esta concepção apresenta o posicionamento ético como um problema, pelo simples fato de que o indivíduo não nasce ético, e sim vai tornando-se ético com o seu desenvolvimento. Freud citado por Marcolino (2008) aponta que existe uma capacidade própria de cada individuo de distinguir o bem do mal. Parece que não há na natureza humana nada ético e que a ética é definida por uma variedade de atitudes conflitantes, onde as reações é uma mistura do instinto, desprazer, impulsos agressivos e desejo de existir.

Tenembaum aponta que a ética está ligada à noção de conscientização, Isto decorre da visão psicanalítica da consciência e do processo de conscientização. A ética não exige submissão; princípios éticos não são impostos, mas sim alcançados; as leis sim são impostas. A moral é imposta, a ética é percebida.

A sociedade em que vivemos o que somos como vivemos, nossas crenças e valores são constantemente avaliados e julgados. Estes valores irão influenciar a nossa concepção sobre o conceito de ética. O conhecimento de ética moral e bioética são fundamentais em nosso cotidiano. Todo ser humano é dotado de um conceito individual de ética e moral, e isto o faz distinguir entre o certo e o errado, justo ou injusto, bom ou ruim, sendo, por isso, capaz de avaliar suas ações.

bioetica-na-enfermagemUrban (2003) acrescenta que a Bioética é um principio fundamental de respeito pelo ser humano, exigindo do profissional o agir ético e responsável na forma correta de realizar procedimentos, para não ocorrerem danos ou riscos nos procedimentos. O profissional deve reconhecer seus limites, conscientizando-se pela crítica de situações visíveis no dia-a-dia. Às vezes, há erros e falhas que podem ser corrigidos como consequência de um aprendizado contínuo.

Esses conflitos e dilemas morais são ocorrências diárias na vida dos profissionais da saúde que surgem no campo da pesquisa e das práticas médica e biológica. No dia-a-dia do profissional da área de saúde, constantemente se depara com conflitos e dilemas, suas decisões sempre são questionadas e avaliadas eticamente. Agir e decidir enquanto posição de pessoa é difícil, mais a repercussão da sua decisão só caberá a você, o difícil é tomar decisões na posição de profissional onde qualquer decisão refletira em vidas que estarão na sua responsabilidade mais não são suas. Uma conduta médica nem sempre aprovada pela sociedade é o velho dilema entre salvar a vida do bandido ou do policial ele escolhe, salvar o policial. Neste momento observa que os princípios morais e éticos do médico foram fundamentais para esta escolha, mas provavelmente não seria aceito por todos na sociedade. Qual seria o critério da decisão, escolher o paciente, porque ali sim ele deveria escolher na condição de médico e paciente, ou seja, por gravidade do caso e não por idoneidade dos envolvidos. Por isso, surgi à seguinte pergunta: existe nas diferentes situações uma única decisão ética.

Uma das principais preocupações do bioeticista consiste em enfrentar os problemas e dilemas morais da forma mais racional e imparcial possível, sem se deixar tentar por nenhum tipo de fundamentalismo moral, isto é, sim nenhuma posição moral a favor ou contra a principio.

Há uma luta interna permanente, onde os envolvidos nos problemas têm em decidir por questões não éticas, quando estamos do lado oposto, começamos questionar o que é mesmo ética, ver um ente querido sofrendo sem perspectivas de vida ou usar aqueles que definitivamente não tem nenhuma perspectiva de vida e manipulá-las na participação de experiências que poderá salvar a vida dos que sempre tiveram boas condições de vida e planos para o futuro.

Existe na bioética um tema polêmico que é o uso da pesquisa com seres humanos, utilizados para produção de medicações, produtos e a tão sonhada cura para doenças degenerativas, traumas raquimedulares entre outras. Certamente a sua opinião a respeito desta conduta dependerá da realidade que vivemos. Caso exista em nossa família uma pessoa com algum tipo de doença rara pouco conhecida cientificamente, teríamos um olhar diferenciado ao lidar com esta questão. Mas caso ela não faça parte de nossa realidade não aprovaríamos tal conduta. Isso demonstra que ao definir ética o contexto no qual estamos inseridos e convivendo irá influenciar fortemente nossa concepção a respeito do tema.

Quando nos deparamos com novas possibilidades ou outras maneiras de fazer à mesma coisa, pensa-se o que é ética, se o conceito estiver bem definido na nossa vida, sofreremos quando a vida de um ente querido ou a própria vida, estiver em condição de necessidade, sofreremos em decidir mais não relutaremos em agir dentro da ética.

A enfermagem por diversas vezes se depara com situações polêmicas, como um paciente em tratamento oncológico em fase terminal e o médico assistente decidem não investir em caso de parada cardiorrespiratória. Neste momento surge sempre à dúvida, será que esta é a forma ética de agir. E qual será a opinião da família do paciente diante desta conduta? E o paciente.

Por outro lado a ressuscitação do paciente neste estágio pode ser interpretada como prática de “ Distanasia”, considerada por Toffetto et al, 2005, como sinônimo de tratamento fútil ou obstinação terapêutica e retrata a atitude persistente dos profissionais de recuperar o paciente terminal, sem pensar em qualidade de vida, podendo causar grande desconforto físico e emocional tanto para o paciente quanto para a família e demais integrantes da equipe multidisciplinar.

Se subordinarmos os valores técnicos aos valores éticos e estéticos de nossa cultura, onde a comunidade cientifica deve se incluir evitaremos ser uma espécie de terceiro mundo entre a sociedade real e o mundo desenvolvido das biotecnologias a que muitos de nós imaginam e desejam pertencer.

O profissional de saúde deve prioritariamente assegurar decisões éticas, tendo em vista sua influência na família, indivíduos, grupos, uma palavra poderá decidir a vida e a direção daquele que em momentos delicados recorrem aos que detém o conhecimento e lidam diariamente com essas situações, ao manipular decisões e pessoas poderá fazer com que elas ajam de forma não ética, é fundamental pensar, refletir, antes de decidir o caminho a percorrer.

Bibliografia

MARCOLINO,J.A.M;CLAUDIO, C;Sobre a correlação entre a bioética e a psicologia médica. Fonte:Revista Associação Medica Brasileira; 54(4): 363-368, jul.-ago. 2008.

Tenenbaum; Doenças Crônica de um hospital geral: V criando monstros. Rev. Ide-SBPSP. 1995;26:88-91.

URBAN, CÍCERO DE ANDRADE. Bioética Clínica. Rio de Janeiro: Revista Associação Médica Brasileira, 2003. p.264 a

CARNEIRO, F.; EMERICK,M.C.; Limites: a ética e o debate jurídico sobre o acesso e uso do genoma humano de. Rio de Janeiro: Dezembro 2000.244p

www.esdc.com.br

Gostou deste texto e quer nos ajudar? Compartilhe com seus Amigos! É rapido e Simples, basta clicar nestes botões:

Deixe Seu Comentário

download goodfellas movie